Lilian Fortuna juntou o décimo terceiro e as férias para as despesas extras de janeiro

O ano mal começa e os boletos do IPTU, IPVA, matrícula, material escolar, seguro do carro já se acumulam, tornando janeiro o mês oficial das despesas extras. A pancada é tão violenta que, muitas vezes, o bolso não aguenta e aí o início de 2018 já fica puxado.

Segundo estimativa do educador financeiro do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e do Portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, os valores gastos no ano passado com as cobranças de janeiro podem ser acrescidos de 5% a 10% este ano – margem que leva em consideração os possíveis aumentos e variações de preço em produtos, serviços e impostos.

“A conta é simples. Basta acrescentar esse percentual ao valor que tinha gasto anteriormente e com isso se preparar para esses pagamentos. Não vai ter erro. Se sobrar, melhor ainda. É importante fazer isso para se programar quanto ao que pode gastar nas férias e no Réveillon sem aperto e honrando todos os compromissos”, afirma Vignoli.

O cenário fica ainda mais estreito quando o dinheiro do décimo terceiro nem chegou a parar na conta. Isto porque, ainda de acordo com o SPC Brasil, dos 11,9% brasileiros que pretendiam não usar o benefício para as compras de Natal, só 11,4% deles estavam dispostos a usar a grana extra no pagamento de taxas e tributos de início de ano.

“A dificuldade em se planejar continua muito grande e o consumidor vai vivendo o dia a dia como se planejamento fosse uma coisa chata ou de pão-duro. Se essa mesma pessoa se preocupar em guardar todo mês 10% do seu salário líquido não precisa nem comprometer o décimo com as despesas de janeiro. Mas, para isso, é importante ter noção de gastos, quanto ganha, o que pode pagar e programar tudo isso no papel”, acrescenta.

Tudo anotado
A planilha organizada antes mesmo da contagem regressiva do ano novo fez com que a funcionária pública Lilian Fortuna priorizasse a matrícula escolar e o fardamento da filha, logo no mês de novembro, assim que a primeira parcela do décimo terceiro caiu na conta. “Janeiro é o meu mês de maior aperto. Em compensação, ter essa atitude na hora de usar o dinheiro extra não me deixa no sufoco maior”.

Em média, metade da segunda parcela do décimo junto com as férias também tem destino certo: material escolar, IPVA, seguro do carro e IPTU. Com o pagamento da cota única, de quebra, o desconto de 10% nos impostos está garantido.

“Eu venho o ano todo planejando isso e pensando no futuro. Não tem jeito, a gente precisa equilibrar as despesas se quiser ter as coisas. Independente disso, eu vou guardando todo mês um dinheirinho. Deixo sempre, nem que seja 5% do meu salário para uma reserva de emergência. É só não gastar mais do que pode”, aconselha Lilian.

Depois de passar por um sufoco danado com o financiamento do carro, o assistente administrativo Marcel Oliveira passou a guardar parte do décimo terceiro também para amortizar as contas do mês de janeiro. Metade do extra vai para a compra do material escolar da filha, mensalidade e fardamento.

“Você não pode ficar sem nada. É a pior coisa que acontece. Com esse tipo de atitude eu fico um passo à frente do imprevisto, sem ficar na mão nem no vexame. Este ano, eu vou sanar tudo com o dinheiro que juntei sem precisar entrar no meu salário”, pontua.

Marcel conta que está juntando outro dinheiro para pagar uma parte do IPVA e do seguro do carro. “Se a pessoa se empolgar nessas datas e gastar tudo com festas, roupas e presentes, quando chega em janeiro você está sem nada. Quem não tem o hábito de tentar fazer as compras à vista ou evitar parcelamentos longos não vai ficar com as contas em dia nunca e vai estar sempre com a corda no pescoço”.

Por isso, a dica da educadora financeira da DSOP, Andreza Stanoski, é ajustar essas despesas à planilha sem comprometer o orçamento. “Redefina suas estratégias para economizar e o foco na hora de gastar sem ficar endividado. Esse planejamento é essencial”, aconselha.

A especialista ressalta que o diagnóstico financeiro deve estar na mesma lista de prioridades do ano novo, nem que seja dividindo espaço com o início da dieta, da prática de uma atividade física ou da realização de um sonho.

“É conhecer sua renda, o poder de compra e a capacidade que ela tem em manter seu padrão de vida, de acordo com o que você recebe e gasta. Não deixe nada de fora e inclua aí também uma reserva financeira para que os sonhos possam, de fato, ser realizados”.

Contas do começo do ano
IPTU Cobrado no mês de fevereiro, o imposto pode ser pago à vista com desconto de 10% em cota única ou parcelado em até 11 vezes.

IPVA Os contribuintes baianos vão pagar em 2018, em média, 3,16% a menos no valor do imposto, de acordo com tabela divulgada pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA). O prazo final para o pagamento do tributo com 10% de desconto, em cota única, é 7 de fevereiro. Existe ainda a opção de pagamento com 5% de desconto para quem fizer a quitação do valor integral do imposto no dia do vencimento da primeira das três cotas do parcelamento padrão do imposto, data que varia de acordo com o número final da placa do veículo.

Mensalidade escolar Na tentativa de barganhar um bom desconto, negocie a quitação antecipada. Se o acordo for bom mesmo e os recursos disponíveis suficientes, estenda o acordo para a quitação do semestre ou até da anuidade escolar.

Material escolar O dever de casa vai ser pesquisar bastante. Comparar preços, dar preferência a marcas com valores mais em conta e excluir da lista os itens com os personagens licenciados e mais famosos do momento, que acabam encarecendo o material. Uma boa dica é fazer um levantamento em lojas online antes de sair com a listinha a caminho das livrarias e papelarias. O exercício vai ajudar a traçar uma média de gasto com a lista. Aqui também a barganha vai ser importante no pagamento à vista. Antes de passar pelo caixa, “chore” por um desconto maior.

Seguro automotivo Contrate a cobertura adequada ao que realmente você precisa. Não deixe também de cotar várias seguradoras. Simule bastante, até adequar o valor ao que você pode pagar. Aí também vai entrar o seu talento para negociar um desconto. Fique de olho ainda no valor da franquia que está sendo cobrado.

Tudo azul nos gastos
Faxina O período é ideal para promover uma “faxina” financeira no orçamento, com o objetivo de diagnosticar a atual situação das contas e decidir o que fazer com o dinheiro e onde é possível cortar para economizar.

Padrão Respeite o seu padrão de vida. Não adianta ir além do que se pode gastar. Mais uma vez, para deixar as contas no azul, o segredo é planejamento e reeducação dos gastos.

Diagnóstico Relacione todas as despesas fixas e variáveis para descobrir o comprometimento dos seus ganhos com as dívidas. Investigue para onde está indo cada centavo dos seus ganhos.

Prioridades Faça escolhas que estejam dentro do seu padrão de vida. Se as condições não permitem, procure outras opções mais prazerosas e de menor valor. O ideal é não se endividar com compras e viagens de final de ano. Pesquise os melhores preços e experimente estipular um valor máximo a gastar com cada item.

Poupe Aproveite o ano novo para colocar na listinha de metas o hábito de poupar. Mês a mês, reserve pelo menos 10% do que ganha. Coloque isso como uma despesa fixa e veja como esta reserva financeira lá na frente vai proporcionar uma situação mais confortável, de equilíbrio financeiro.

Sonhos Defina três sonhos prioritários que tenham diferentes prazos a serem realizados – curto (até um ano), médio (até dez anos) e longo (acima de dez anos). Esse será um fator de motivação para ajustar e conduzir o orçamento familiar.

Compartilhe... Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone