É fato que os moradores das pacatas cidades do interior, não mais desfrutam da tranquilidade que há bem pouco tempo era peculiar por estas bandas do sertão. Podia-se caminhar a noite toda pelas ruas e praças, casais de namorados, seresteiros, desfrutavam a paz e no silêncio da madrugada, contemplavam as estrelas. Infelizmente, conforme reclamam os próprios moradores, isso são lembranças, porque a violência chegou em todos os recantos.

Os motivos são diversos, alguns atribuem ao progresso, outros ao aumento devastador do consumo de drogas, existem ainda os que acreditam na interiorização de quadrilhas e do crime organizado, que antes se limitavam a atuarem nos grandes centros. Hoje, percebendo a fragilidade das forças de segurança, reduzido número de policiais, precárias condições de trabalho, os criminosos agem a toda hora, inclusive aliciando jovens e adultos para tal vida bandida, que faz vítimas desde o centro das cidades, até residências nos mais longínquos recantos da área rural.

Na semana passada, divulgamos aqui, o verdadeiro terror pelo qual passou uma família, que teve a sua residência invadida por bandidos armados próximo a comunidade de Sutil, área rural de Ibipitanga. Felizmente, a polícia agiu rapidamente e interceptou os elementos a após troca de tiros, capturaram os meliantes que já estão atrás das grades.

Outro caso, que provocou indignação na comunidade e debates acalorados nas redes sociais, ocorreu em Boquira quando elementos armados com facas facões e arma de fogo, abordaram um motociclista, atingindo-o com intenção de matar, levando de assalto o seu veículo (motocicleta). O crime foi registrado na madrugada desta quarta-feira 31 de janeiro de 2018.

De acordo com informações colhidas pelo Boquira em Ação junto à Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 4h da manhã, nas proximidades do trevo de entrada da cidade. Um homem identificado como Diodato Belmiro de Souza, que reside na Avenida Via do Acesso, seguia na rodovia em sua motocicleta modelo Bros, quando foi interceptado pelos marginais que tomaram sua moto e ainda deram um tiro em seu abdome e golpes de facão em sua cabeça. A vítima foi socorrida e levada para a unidade hospitalar da cidade, em seguida transferida para a cidade de Brumado.

Do mesmo modo, as prisões foram efetuadas pela Polícia Militar, (Policiais Costa e Delson),  que apreenderam os elementos envolvidos, inclusive o receptador que confessa em vídeo o ato criminoso. Desbaratando uma perigosa quadrilha, que tinha como um dos focos, o roubo de motos. Os policiais recuperaram  a motocicleta, apreenderam armas, sque foram apresentadas na delegacia. Agiora o trabalho de investigação do Agente Manoel da Polícia Civil, sob o comando do delegado Dr. Mauro, continuam. O prefeito e a comunidade agradeceram a ação destemida dos Policiais Militares, bem como a dedicação do Delegado Dr. Mauro, que sempre se faz pressente em Boquira, (apesar de não estar como titular) conduz os trabalhos de investigação para a elucidação de todos os crimes cometidos.

Não faz muito tempo, as portas e janelas podiam ficar abertas noite adentro; os noctívagos podiam vagar debaixo da lua até a hora que quisessem; a tranquilidade reinava nas ruas e nos recantos. Eram incomuns os casos de homicídios, estes ocorrendo basicamente com gente forasteira; os roubos e furtos eram raramente constatados; as desavenças, sem graves consequências, eram quase sempre causadas pelas longas bebedeiras em dias de feira. Tempos idos, que nem de longe se compara com o crescente estado de violência que impera atualmente por todo o sertão.

As consequências da violência todos conhecem, e são as mesmas noticiadas pela imprensa, acrescentando-se a isto o pavor que se espalha naquele que deveria ser o romântico e bucólico mundo sertanejo, além do medo constante que se interioriza nas pessoas e no sentimento de impotência que é criado. Ora, alguém poderia perguntar: A culpa pelo aumento de roubos, violência e morte é do prefeito? Dos vereadores? Do Governo do Estado? Ou da dispersão das amizades, isolamento das famílias que deixam de lado a noção de vida comunitária e participativa e passam a ser regidos por disputas entre os velhos e os novos políticos, atribuindo a esses a culpa por tudo o que ocorre? Em parte, quando os moradores de municípios perdem a sua feição de cidade interiorana e torna-se cosmopolita, importando os modismos da cidade grande, incluindo-se aí a prática de todo tipo de violência e a proliferação do uso de drogas, é um dos exemplos cristalino desse fenômeno.

É notório que, de acordo com a Lei, mais precisamente no artigo 144 da Constituição Federal, a segurança pública é dever do Estado brasileiro, direito e responsabilidade de todos. Ou seja, em se tratando de pequenos municípios que não possuem verba específica nem condições de prover segurança, essa passa a ser uma responsabilidade dos governos federal e estadual. Ela é exercida para a proteção das pessoas e do patrimônio, bem como a preservação da ordem pública. Tais ações se dão através das diversas polícias, como a rodoviária federal, a polícia civil, a polícia militar e também o corpo de bombeiros.

Apesar de não possuir recursos específicos, sendo competência do Estado manter a segurança, percebe-se que os gestores municipais se esforçam em colaborar, solicitando novas viaturas, interferindo politicamente, como no caso de Boquira (solicitando a nomeação de um delegado titular), favorecendo a ação dos policiais e até ajudando financeiramente na permanência das companhias, bem como, na recuperação de prédios e instalações adequadas para a execução dos trabalhos policiais.

Os governos estaduais são responsáveis diretos pelo policiamento ostensivo, aquele que produz na população uma percepção de segurança. Cabe aos estados a manutenção e organização das polícias Militar e Civil, assim como dos outros órgãos que investigam os crimes comuns.

Por sua vez, os governos municipais, como vem sendo o caso dos municípios citados (Boquira e Ibipitanga), podem desenvolver ações de prevenção à violência, por meio da instalação dos equipamentos públicos, como iluminação de vias públicas. Além disso, também se esforçam para criarem guardas municipais para a proteção de bens, serviços e instalações. “É preciso lembrar que a segurança pública faz parte da organização administrativa Estadual e Federal. Por isso, a gestão em cada esfera política é responsabilidade dos governos, ou seja, do Presidente e do governador. Porém, conhecendo a carência existente nessa área, o prefeito Luciano vem se dedicando em colaborar de forma constante para o suporte no combate à violência”. Afirma o Secretário de Administração do município de Boquira, Evandro Novais.

Compartilhe... Share on Facebook4Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone