Estamos há exatos 07 dias do mês de junho, início da maior festa popular do estado, o Jornal O Eco que peregrina diariamente em busca da notícia, visitando os municípios, acompanha os preparativos para os festejos que contemplam a todos, o nosso tão aguardado São João,  que este ano será realizado dentro de uma realidade delicada, porém, segundo os próprios gestores e organizadores, essa é a maior manifestação da cultura regional, não tendo eles, o direito de privar a população e visitantes do lazer e tradição tão importantes. Portanto, os festejos acontecerão dentro de uma maior vigilância financeira, porém, com criatividade e atraente programação que contará com muitas atrações culturais.

“Este ano iremos nos esforçar para fazer uma grande festa com a riqueza da nossa cultura popular, celebrando a dança, a música, as brincadeiras e todas as formas de expressão dessa manifestação folclórica. Estamos preparando uma estrutura adequada, com a responsabilidade e consciência das dificuldades, de modo a garantir diversão à todos os munícipes e visitantes, com atrações diversificadas, shows com artistas da terra e grupos de renome, obedecendo as nossas condições, incentivando ainda a geração de emprego e renda. Também estamos, Eu e demais prefeitos da região, buscando parcerias, para que tudo se realize com sucesso. Sempre primando pela segurança dos brincantes e espectadores”, informou o prefeito Dr. Érico Cardoso Azevedo, que realizará dois dias de festa em Água Quente.

Como diz o forrozeiro Mão Branca, quando o mês de junho se aproxima, o coração do sertanejo bate mais forte, a expectativa e alegria em nossas vidas. Temos a certeza de reviver as tradicionais festas juninas. Muito se tem escrito em prosa e em versos sobre esse mês, em que se unem religião e folclore. Creio eu que em nenhum lugar do Brasil tais festejos sejam mais animados e atraentes do que entre nós, nordestinos.

Se para a capital e outros cantos, o carnaval impera, no nosso sertão a maior efervescência é sempre reservada para o mês das fogueiras. Os que por aqui residem, também cada filho do Nordeste que habita em outras paragens, guarda no coração momentos inesquecíveis nas festas de São João. Muitos se preparam, buscam programar a vida durante o ano, para que no mês de junho, possam estar de volta, na festança, felicidade maior não há.

Como diz o poeta, discorrendo sobre sua terra natal, as festas juninas de sua infância: “Fogueira! Fogueira! Dos meus olhos fixos cheios de fumaça e sonhos”. A fogueira é um fogo que segundo a história bíblica lembra o sinal de Isabel para comunicar a Maria o nascimento de João Batista. A música faz parte dos festejos juninos de forma destacada. E o nosso inesquecível Luiz Gonzaga ainda é referência para forrozeiros atuais como Edigar Mão Branca, Dorgival Dantas, Valdones e tantos outros que estarão alegrando os folguedos. Forró autêntico ainda é sinônimo de festas de São João.

Apesar da modernidade, os xotes universitários, as penetrações do estilo sertanejo, tão solicitado pela juventude, o forró é marca registrada, cada música tem a sua história, o seu motivo de existir. E nosso baião? Esse é quente, gostoso, excitante, fazendo os salões e praças ficarem superlotados nas festas de São João.

Eu tenho uma saudade imensa do São João da minha infância. As fogueiras enchiam as ruas, canjica, pipoca, doces, brincadeiras, não havia nem transito nem mensalão, não se falava em lava-jato nem em tanta corrupção. Toda casa tinha festança, comida e muita alegria. E quando ficavam só as brasas, começava a cerimônia dos compadres e comadres. “São João dormiu, São João acordou, vamos ser compadres que São João mandou”. Aquela felicidade passou, porém em meu coração a fogueira da saudade continua. Que as festas juninas de nossa região continuem levando felicidade ao nosso povo nesse mundo tumultuado como o atual.

Apesar de todo o turbilhão de más notícias, crise política, financeira que abala as estruturas, a vida deve continuar. Com redução em quase todos os municípios, os arraiás irão acontecer com participação popular e muita alegria. é festa e cultura aflorando pra todo lado. Desde o Oeste Riacho de Santana, Igaporã e seu tradicional São Pedro, Arraiá da Praça do Feijão de Guanambi, Ibitira em Rio do Antônio, Tanhaçu o couro come, Jussiape, Rio de Contas e o Distrito de Marcolino Moura, Aracatu e Brumado também tem. A festa se estende e chega a Dom Basílio, Livramento, pelo Vale do Paramirim, Érico Cardoso, Feira Nova e Botuporã, além da alegria antecipada em Ibipitanga e Ibiajara, Varzinha, Boquira e Macaúbas recebem multidões, Oliveira dos Brejinhos e para fechar em alto estilo, todos em Rio do Pires para o mais animado São Pedro da região.

Nossa reportagem já se prepara para a verdadeira maratona, na cobertura jornalística, transmissão via internet (TV O Eco), reportagens especiais de tudo o que vai rolar a partir do dia 1º de junho! É sempre uma satisfação registrar, divulgar de forma online ou impressa, toda mobilização, expressões da cultura de um povo que resiste a tudo. Esse é o povo baiano! O povo brasileiro! Nossa cultura permanece se avivando nos corações guerreiros de cada nordestino.

Que venha o mês de junho!  E viva a alegria do São João!

 

 

Compartilhe... Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone