Buscando honrar o compromisso de gerir com ética, zelando pela legalidade dos seus atos, o atual prefeito de Boquira – Luciano de Oliveira e Silva – considerou injusta a atitude do ex-gestor, que deixou em restos a pagar quantias elevadas (dívidas), incluindo as remunerações devidas aos servidores contratados por tempo determinado na área de educação, tendo ignorado suas obrigações para com os valores de recursos que eram distantes da realidade, ou seja muito inferiores aos compromissos, o que causou prejuízos e diversos transtornos aos funcionários, que prestaram seus serviços e ao final do mandato passado, deixaram de receber o que lhes era devido, ato de irresponsabilidade do antigo gestor, que por obrigação, teria que deixar em caixa recursos suficientes para todas as dívidas herdadas, incluindo os contratos vencidos em 31 de dezembro de 2016, último dia da sua gestão.

Assim que assumiu, diante de incontáveis irregularidades encontradas, havia essa questão dos contratados que historicamente, sempre ficavam no prejuízo, sem receber (durante a transição de governo). Luciano então, determinou uma comissão, para que fosse realizado um levantamento detalhado dessa questão, identificando quem seriam os que de fato teriam direito ao pagamento e assegurou que buscaria uma forma de solucionar, pagando os valores devidos, (apesar de não ter recursos suficientes para quitar os contratos que findaram em 31 de dezembro de 2016, coisa da antiga gestão).

Segundo o prefeito seria injusto em toda mudança de gestão, as pessoas serem prejudicadas com a falta de compromisso do ex-gestor. A comissão nomeada realizou o levantamentos, nomes e valores devidos, o prefeito então determinou que fosse efetuado o pagamento. De acordo com o Secretário Municipal de Finanças do Município, Sr. Humberto Júnior, foram identificados 115 profissionais receberam o montante de R$ 152.067,75 (cento e cinquenta e dois mil, sessenta e sete reais e setenta e cinco centavos). Dinheiro que certamente fará a diferença para os beneficiados nesse final de ano.

De acordo com especialistas em direito público, tais calotes protagonizados por ex-gestores municipais, geralmente derrotados nas urnas, são comuns em final de mandato, pois os mesmos têm consciência de que são contratações tidas como “temporárias” e quando contestadas pelos servidores, são considerados nulas por diversos tribunais. Ficando os profissionais no prejuízo total, sem que haja punição ao gestor pela irresponsabilidade no equilíbrio de fundos para o pagamento. Em resumo, com essa atitude plausível e corajosa, o prefeito inova no modelo de gestão, especialmente no trato com os servidores. Pois, de acordo com a sua consciência, o gestor buscou complementar os recursos para arcar com os contratos vencidos do ex-prefeito. Quebrando o paradigma de que os contratados sempre ficam no prejuízo, o prefeito Luciano ignorando posições ideológicas e políticas, praticou o que é correto, honrando compromissos abandonados pelo ex-prefeito, para que os funcionários que prestaram um serviço, não fossem prejudicados de forma omissa. Parabéns ao prefeito Luciano, ao Secretário de Finanças Júnior e demais componentes da atual gestão pelo ato de honradez, assegurando dignidade a esses trabalhadores.

Compartilhe... Share on Facebook16Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone