O feriadão do Dia da Independência do Brasil (7 de Setembro) caiu numa quinta-feira (amanhã), por isso, muita gente está pegando a estrada para uma folga prolongada curtindo a natureza da Chapada Diamantina. Neste período, as cidades da Chapada Diamantina são muito procuradas por turistas, que buscam no contato com as belezas naturais – cachoeiras, poços, morros e cavernas – um alívio para suas tensões. Os viajantes também podem desfrutar dos desfiles com fanfarras, celebrando o Dia da Pátria, que são tradicionais nos pequenos municípios da região.

A Chapada é uma das mais extensas zonas turísticas da Bahia, e é dividida em três circuitos. O Circuito do Diamante é o mais conhecido, e abarca municípios como Andaraí, Ibicoara, Iraquara, Itaetê, Lençóis, Mucugê, Nova Redenção, Palmeiras. O Circuito do Ouro é composto por municípios como Abaíra, Livramento de Nossa Senhora, Piatã, Rio de Contas. E, por fim, o Circuito da Chapada Norte, que congrega os municípios de Bonito, Campo Formoso, Jacobina, Miguel Calmon, Morro do Chapéu, Wagner.

Para você não se perder em meio a tantas opções de passeios, selecionamos algumas, é só escolher e se programar. Se prepare. Chame os amigos, a família, bote a barraca de camping na mochila e pegue a estrada!

Cachoeira do Fraga é atração em Rio de Contas | FOTO: Divulgação/Aventuras ECO 

Rio de Contas
Localizada no Circuito do Ouro, Rio de Contas é a cidade mais antiga da Chapada. Ela possui um dos três conjuntos arquitetônicos coloniais mais importantes e belos da Bahia, e abriga quase 300 construções históricas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Com diversos atrativos naturais em seu entorno, o município é detentor dos picos mais altos do Nordeste: o do Barbado (o mais alto, com 2.033 metros, fica entre Rio de Contas, Abaíra e Piatã), do Itobira (com 1.970 metros) e das Almas (com 1.958 metros). Os dois últimos, em Rio de Contas.

Os principais atrativos são o mirante da Rampa do Caim (foto), a entrada do cânion do Guariba e as cachoeiras selvagens do rio Guariba  | FOTO: Divulgação/Aventuras ECO 

Mucugê e Igatu
Mucugê é tombada como patrimônio nacional pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e foi construída nas margens da Serra do Sincorá. O seu principal destaque é o Parque Municipal de Mucugê, onde está localizado o Parque Sempre-Viva, projeto bem sucedido de educação e preservação ambiental, além do Museu Vivo do Garimpo.
Já Igatu é um distrito que pertence ao município de Andaraí e fica localizada entre a sede e Mucugê. O vilarejo também é tombado como patrimônio nacional pelo Iphan e possui diversos atrativos especiais, como a Galeria Arte e Memória, um museu a céu aberto, que guarda utensílios do garimpo e dos escravos, e as seis cachoeiras ao seu redor, ideais para a prática do trekking e da escalada.

O Vale do Capão se destaca como um paraíso ecológico fincado no coração da Chapada Diamantina | FOTO: Reprodução |/Aventuras ECO 

Vale do Capão
Localizado no município de Palmeiras, o Vale do Capão resguarda paisagens e belezas naturais encantadoras. As trilhas são basicamente compostas por cachoeiras, dentre outras preciosidades naturais. É onde fica a trilha mais utilizada para a Cachoeira da Fumaça, a mais alta do Brasil, uma área tomada por Mata Atlântica, montanhas de até 1,5 mil metros, além de fauna e flora diversificadas. Não é por falta de atrativos que o Vale se destaca, lá se tem trilhas para os Gerais, a correnteza do Rio Preto e o imponente Morrão.

Turistas apreciam a vista desta gruta que leva ao topo do Morro do Castelo || FOTO: Reprodução |/Aventuras ECO

Vale do Pati
A maioria dos turistas que já fez o percurso afirma que é um dos melhores e mais bonitos roteiros da Chapada Diamantina. O Pati fica no meio do Parque Nacional da Chapada (Parna), entre os municípios de Andaraí e Mucugê, e possui três vias principais de acesso para começo e término da travessia: Vale do Capão, Guiné e Andaraí. Este trekking se caracteriza por caminhadas em extensas áreas planas, com alguns momentos de subidas e descidas íngremes e passagens por leitos de rios. A cada instante o trilheiro se depara com morros deslumbrantes e enormes, rios magníficos, cachoeiras exuberantes que fazem compreender e admirar a magnitude da natureza local.

A cachoeira do Ferro Doido fica a 18 quilômetros de Morro do Chapéu pela rodovia BA-052, a famosa ‘Estrada do Feijão’|| FOTO: Reprodução /Aventuras ECO

Morro do Chapéu
O município de Morro do Chapéu, do Circuito Chapada Norte, possui mais de 10 sítios que reúnem pinturas em grutas e pedras, com uma infinidade de cachoeiras, paredões, desfiladeiros e a maior concentração de orquídeas da Bahia. A cidade, localizada a mais de mil metros de altitude, é também o paraíso dos fãs de esportes radicais, rota certa para a prática de rapel, mountain biking, trekking e cavernismo. Ganha destaque a Cachoeira do Ferro Doido, situada a 15 km da sede, chega a alcançar no ponto mais alto 98 metros, formados pelo rio de mesmo nome.

O acesso à Cachoeira da Fumacinha é feito pelo Parque Natural Municipal do Espalhado | FOTO: Reprodução/Aventuras ECO

Ibicoara
Ibicoara fica no sudoeste da Chapada e a 1.700 metros de altitude, a cidade, cujo nome significa ‘buraco na terra’, vem ganhando espaço no turismo local. Seu principal atrativo – a Cachoeira do Buracão, fica localizada no Parque Municipal do Espalhado, uma unidade de conservação com uma área de 611 hectares, a 30 quilômetros da sede do município. Outras belezas naturais, como a Cachoeira da Fumacinha, do Lucuri e do Rio Preto também fazem muito sucesso entre os turistas e atraem, principalmente, os adeptos de esportes de aventura como o rapel, o cascading, a escalada e o trekking.

Como chegar
Existem três opções de transporte para chegar à região da Chapada Diamantina, de carro, de ônibus ou de avião. De carro, para quem está saindo de Salvador, deve pegar a BR 324, sentido Feira de Santana, de lá é possível seguir pela Estrada do Feijão, BA-052, até Ipirá, onde pegará a estrada para Itaberaba daí em diante é só seguir pela BR 242. A outra opção é seguir de Feira de Santana pela BR-116 até a altura do Paraguaçu e pegar também ingressar na BR 242 que interliga toda a região.

Compartilhe... Share on Facebook1Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone